quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Mudança de rotina

Hey povo, como vocês vão? tecnicamente, é uma pergunta retorica pois eu não posso saber a resposta, mas whatever ehaueaheu'
A alguns dias, estou tentando aprender linguagens de programação e tal, e eu queria usar isso, nessa budega, que declaramos como blog, aí, eu vi que isso tá muito parado e tive uma ideia na minha mente: nem sempre tão fértil (8)-n
Mudar o estilo do blog, de um blog preguiçoso, para um blog com atualizações diárias.
Um compromisso maior de todos os postadores.
Um novo esquema visual do blog.
E um novo Postador.

É, é isso mesmo meus amigos, isso aqui tá precisando de um novo gordo-npara ajudar, se você que está lendo isso, quiser participar comente aqui, ou adiciona no MSN para a gente ver:
O meu: jean-ale-123@hotmail.com
O do gordo-n Bruno:silva.bruno1998@hotmail.com
O do Wilson-nRafael:fafa.fut@hotmail.com

Aí tá da hora né negada? Beleza. Agora, simplesmente terminando aqui, teremos um cronograma a seguir, e pretendemos dar o melhor conteúdo a vocês leitores, obrigado e fiquem atentos as novidades!
Nos vemos logo... HEAUEHA
-s

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cadê minha caixinha?

Minha família tem o sangue quente. Todo mundo é uma bomba relógio prestes a explodir sem prévio aviso. Sabe que até hoje eu não sei como as estruturas da minha casa ainda resistem à eventuais surtos mensais que minha mãe tem?

Esses dias, meu irmão e eu ganhamos um 'presente de natal' do nosso pai: 100 reais pra cada. 70 foram embora na minha bicicleta, outros 20 foram pro presente de sexagésimo aniversário da minha avó, e 10 usei pra assistir Gato de Botas.

Meu irmão? Ele comprou aquela maldita caixinha de som com entrada USB que tá na moda agora. 60 foram nela e 22 num pendrive, o resto não me pergunte.



Foram dias, repito DIAS, levando a caixinha pra lá e pra cá. O problema não era nem isso quase.
O problema é o gosto musical do prodígio:

Michel Teló com 'Ai se eu te pego, delícia, delícia e tudo mais', Luan Santana, Fernando & Sorocaba, Gustavo Lima, João Bosco & Vinícius, e aquela merda de música que o cara não vai não, não vai não, por que a mulher não deixa não.

Botei naquela bagaça as minhas músicas preferidas e eu fiquei atazanando ele o dia inteiro com isso. A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena... Mas quem liga? -n

Até que um belo momento fui ler e relaxar com a brisa e a sombra debaixo da árvore em frente da minha casa. Com a caixinha e um Harry Potter.
Deixei a caixinha debaixo da cadeira de varanda.
Fiquei ali muito tempo.
Cansei e fui pra dentro. Dessa vez relaxar no PC.

Tempinho passou. Minha mãe, irmão e avó tinham saído e acabaram de voltar.
Meu irmão começou a perguntar da caixinha. E quando digo 'começou a perguntar' esqueça tudo o que sabe sobre isso, o moleque quase me obrigou a dizer um "POR QUE SIM, ZEQUINHA!", depois de eternidades perguntando o por quê que eu não queria falar onde estava.

Minha mãe começou a falar o preço da caixinha insistentemente e que eu tinha que trabalhar pra comprar outra (nervoso + sovinice - R$60 = Aulas de dramaturgia reprimidas).
E como eu sou um vagabundo de carteira assinada, comecei a acreditar que teria que vender sorvetes de novo pra pagar.

Minha mãe finalmente parou de falar quando saiu. E quando voltou, falou de como ela tinha visto a caixinha debaixo da cadeira, de como ela guardou e falou de inúmeras possibilidades de roubo por pessoas desocupadas, pobres ou drogadas que fariam uso indevido da caixinha e de como meu irmão sofreria até a morte por isso.

Até mais.

Siga: @brunno_98

sábado, 10 de dezembro de 2011

Mais programas: TV Odone Belline

Pois é, eu não ia fazer o post, mas como já faz 3 dias que eu pedi ao Senhor Wilson - já que ele não faz anda nessa budega - pra postar, deduzi que ele está negligentemente ocupado.

O que vos apresento hoje são alguns novos trabalhos da grade da TVOB. Aí estão:

Jornal Minutinho #4 - Campeonato de Vôlei

O Novo Papo de Garotas, com fofocas sobre famosos.

Jornal Minutinho #5 - Diabetes

É isso aí, assistam, dêem joínha e sejam felizes, morféticos :B

Acesse: Todos os trabalhos
Siga: @brunno_98
Curta: /tvodonebelline

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A Ilustre Tela Azul da Morte

O Windows é a maior praga contagiosa existente na face da terra, já diziam filósofos da informática. O XP é o avô do Windows 7, bisavô do 8 e tataravô do 9 - intuitivo, não? -n

No começo eu adorava o XP, achava que era o único SO que existia, aliás, eu nem sabia o que era um Sistema Operacional - e quando descobri o que era passei a odiar todo tipo que não fosse o XP.
Só que descobri também, da pior maneira possível, que o Windows XP é uma trosta. Depois de anos usando ele, começou a travar, a não responder, a me trollar mais até que Atendentes de Padaria.


Só o que falta acontecer é eu me deparar com a terrível 'Tela Azul da Morte'.

Faz meses que estou pedindo à minha mãe que ela mande formatar o computador (trocando gato por lebre, instalando o Seven, veja você). E não, eu não sei formatar, guru da montanha feladapota...

Wilson, amigo velho de guerra, o suprainteligentista da porra toda, enfim, ele sabia e me contou faz anos, que tem costume de tratar de seu PC com um cara chamado... Bom, não lembro o nome dele, talvez seja Eduardo, mas ele formatava por R$ 40 - preço baixo por aqui.

MESES, DEMOROU MESES. Demorou meses pra minha mãe resolver formatar, até ela já estava ficando louca com o ancião.

Finalmente vou na casa do dito cujo Rafael (Wilson).

Chego lá, sou recebido pela mãe dele. O que eu ouço é uma coisa azul, bem azul mesmo.

-Oi, erm sabe aquele cara que o Rafael formata o computador?
-O Eduardo? Ele morreu, teve um acidente de moto.

Siga: @brunno_98

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

A Jornada Para as Estrelas....éér, vou tentar não exagerar...

Olá seres vivos que visualizam as postagens, hj por um milagre decidi fazer uma postagem, espera aí, deixa eu ver se está chovendo.....voltando ao assunto, vou começar com minha história vaai.

Era só pelo bairro do Bosque e pelos arredores, mais como tenho espírito de blogueiro, gosto de complicar, só pra ficar mais interessante....
Num belo dia (ontem), eu e uma amiga estávamos organizando uma festa, e tivemos que andar pacas pra resolver tuudo. primeiramente eu tive que subir no Popular e subir aquela SUBIDONA para quem não anda quase nd é um tremendo sacrifício, pensa no meu esforço :S 
Depois de descansar por 30 minutos decidi voltar, vou simplificar vai: passei na escola, fui no mercado, e fui chamar um povo para ir na festa! UFA, CANSEI SÓ DE FALAR! Agora pensa, andar ás 15:00 horas, com um Sol rachando o chão, ir atras de td que precisava, tenha dó de miim! Eu não mereço sofrer tanto, porquee eu? Porque não outra pessoa? O que que eu fiz?
E depois de voltar para casa, pensa nos litros de água que tomei, é um prejuízo muito graaaande!
Pronto, ja fiz muito drama, para uma pequena históriaa haushuahsuahsua, até mais povo (até eu decidir que quero fazer uma postagem nova...)

Siga: @MarcelaBiia

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

As peripécias de um retardado no centro da cidade

 Bibliotecas são lugares onde se armazena livros velhos e filmes pré-históricos ou o contrário para empréstimo à pessoas aparentemente normais. Até aí você, guru da montanha, já sabe. Só não sabe que na minha cidade, ir à biblioteca, além de ser um hábito raro e somente aplicado à trabalhos escolares e a literalistas compulsivos, é um suplício se você mora no Jardim Popular.



Eu queria ler um livro. Aí pensei: "Que tal a biblioteca? Tem um monte de livros lá." Maldito seja o Capitão Óbvio.

O dia em questão era o do 2º Festival de Música da escola, organizada pela TVOB. Eu faço parte da TVOB, por isso tinha que estar lá. Já era fim de ano, eu não precisava estar lá. Eu sabia escrever, podia deixar escrito e Wilson que se ferrasse. Decidi ir pra biblioteca, antes dando uma passada na escola pra entregar o dito cujo papel... escrito.

Feito isso, vou eu, o intrépido e destemido Jerry Lewis de biquíni -n, à interminável empreitada de esperar o maldito ônibus chegar.

Demorou pra cacete. Entro no ônibus, mas ao contrário do que me disseram e do que eu esperava que fosse, o preço da passagem não era R$2,10 e sim R$2,35. Quase que imitando o episódio de Trollando o Bruno II, o motorista que parecia ser do Sindicato das Atendentes de Padaria, falou alto quase gritando, quando eu ia passar na catraca: "Falta 20 centavos!!".
Pois é, eu ia corrigir que faltava 25 mas achei melhor não, em vez disso fiz uma pergunta besta e totalmente com cara de "O quê? Mas é isso mesmo?!?1", dizendo "O quê? Mas é isso mesmo?!?1".

Felizmente o motorista limdo do meu éssetrês me deixou passar, ou catracar, no caso. Depois da viagem terminar, eu descer do ônibus e descobri que a poha da biblioteca estava fechada, sentei, e desconsoladamente apoiei meus cotovelos no joelho e levei as mãos à cabeça. Mentira, eu não fiz tudo isso, mas deu vontade.

Nunca fui no centro sozinho, e andar por lá é uma aventura quando se está sozinho, se você se chamar Bruno Silva, tiver 13 anos e achar que andar por lá é uma aventura quando se está sozinho. Aventura maior, digna de Harrison Ford em Indiana Jones, é voltar do Centro pra casa à pé - cerca de 4 quilômetros.

Quando cheguei em casa pensei ter perdido 3 quilos de tão cansado que eu estava.

Hoje fui no Centro de novo, descobri que a biblioteca tinha mudado de endereço.
Além disso, não tinha 'O Guia do Mochileiro das Galáxias', livro que eu ia pegar. Me conformei com Harry Potter.

Até a vista, e não entrem em pânico. -N

Siga: @brunno_98

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A Conspiração do Universo contra a aula de Português

O blog não morreu. Só está testando o caixão. Viu, seu Omar?


Eu estou tendo aulas particulares em um curso digamos, militar. São a garantia furada de que eu não vou me ferrar nos concursos pra entrar em um bom colégio militar, como a AFA e a Escola Naval.
Professores de uma rede de escolas particulares de um prédio só vem até uma faculdade matonense onde dão aulas teóricas de Matemática, Português, História, Geografia, Física, Química e Militarismo (que, aliás, no início do curso foram apresentados só osprofessores de Matemática e Português e já tivemos aulas com eles).



São 2 horas de aula por semana, uma matéria por vez, e sábado passa tivemos aula de Português.

Meu dia naquele sábado foi excepcional: Minha mãe me acordou 6 horas da manhã, e eu como menino ordeiro e bem comportado, levantei ás 6:30. O curso era ás 8, mas eu tinha que me arrumar como o Relâmpago McQueen em dia de Copa Pistão. Carros rulez.

Até aí tudo bem, eu podia negociar com o sono crônico, mas não com meu amigo lerdo que fazia o mesmo curso, saí no horário certo, fui até a casa dele, e eis que descubro que o dito cujo estava saindo do banho e entrando no atraso. Eu tinha que ir de ônibus e não sabia o horário que ele passava.

Finalmente resolvo ir sozinho até o ponto de ônibus, à dois quarteirões da minha rua.
Quando estava na esquina vi uma coisa que me deixou completamente feliz, satisfeito e homicida: o maldito ônibus passava bem na minha frente e tomava seu rumo para um longínquo lugar ao além, me fazendo lembrar das aulas de dramaturgia que eu não tive.

Mesmo eu desconfiando que esperando o quanto for outro ônibus não ia chegar a tempo, eu fui para o dito ponto de ônibus, confirmar minha suspeita. Voltei pra casa faltando 20 minutos, chamei uma moto táxi (se você não conhece, é como um táxi, só que é uma moto em vez de um carro, daí o nome MOTO TÁXI. Intuitivo, não?). 

Finalmente cheguei à faculdade, tive que esperar os portões abrirem. A professora de Português nos recebeu e entramos no pátio - onde ficamos por um bom tempo. Aparentemente, a professora não tinha a 'senha' pra abrir a porta da sala, e teve que pedir ajuda no telefone, e enquanto esperávamos, ela chamou a todos para que se sentassem e ela fizesse a chamada e distribuísse os carnês de pagamento do curso.

Enfim pudemos ir em direção a sala, enquanto a professora desligava o alarme, colocava a senha e ensurdecia nossos ouvidos com o som dele, já que ela não sabia desligá-lo. Depois de um longo tempo enfrente a porta da sala, conseguimos entrar, o pesadelo tinha acabado.

Já lá dentro, a professora disse uma coisa que era verdade "O Universo está conspirando contra a aula de português de vocês...".

O país é Brasil, um país tropical, abençoado por Deus, bonito por natureza e quente pra caralho. Sério, o calor estava de sacanagem, pediram a um guardinha da faculdade pra ligar o ar condicionado, tempos depois ele volta dizendo que não sabia ligar o ar, e no fim da aula diz que ia mandar um técnico olha a gravidade da situação pra ligar o ar. Exatamente ás 10:01, fim da aula o ar condicionado liga.

Eu adoro estudar nessa escola, gosto demais da competência do corpo de responsáveis e sou mentiroso descarado.

Alfidesen!